}

Perda ou perca?

As duas, cada uma com seu sentido. Elas são palavras parônimas e costumam ser indevidamente empregadas uma pela outra. Entretanto, se estivermos atentos para seus significados, não há razão para as confundirmos. Vejamos:
· Perda - Substantivo que significa "privação de alguém ou de alguma coisa que se possuía", como em "Houve perda de receita no último ano" e "Júlio entristeceu-se com a perda do amigo".
· Perca - Flexão do verbo "perder" na primeira e terceira pessoas do singular do presente do subjuntivo e primeira e terceira pessoas do singular do imperativo: "Você quer que eu perca a partida, não é?" e "Não perca a esperança".
Obs.: Há autores que, na descrição das conjugações, omitem a primeira pessoa do singular do imperativo.

São, pois, incorretas frases como "Não desejo que ele perda a fortuna" ® (correto: perca) e "Isso é perca de tempo" ® (correto:perda).

Mal e mau


Essas duas são palavras parônimas, as vezes homônimas – dependendo da pronúncia –, e por isso têm sido confundidas e tomadas uma pela outra. Entretanto, é muito fácil distingui-las se conhecemos suas funções, como veremos a seguir:
· Mal (escrito com “l”) – Classifica-se como advérbio de modo e como conjunção subordinativa temporal. Como advérbio, opõe-se a bem e modifica adjetivos (Parece-me pessoa mal-intencionada) e verbos (Mais uma vez, Odilon trabalhou mal). Como conjunção, liga orações e equivale a “tão logo, nem bem”: “Mal tomou posse, começaram as cobranças”. Quando antecedido de artigo ou pronome, expresso ou subentendido, “mal” converte-se em substantivo. Nessa condição, também se opõe a bem e ainda pode flexionar-se: “Devemos combater o mal” (as coisas más) e “Nossos males (nossos problemas) advêm basicamente da falta da noção de cidadania”.  
· Mau (escrito com “u”) – É adjetivo masculino e assim pode flexionar-se em gênero () e número (mausmás). Acompanha substantivos: “Evite dar mau exemplo”, “Estevão e Fernando são  sujeitos maus”,  “Não é  idéia” e “Fuja das máscompanhias, porque o resultado a gente já conhece”. “Mau” também pode substantivar-se e, nessa condição, flexionar-se normalmente: “O mau precisa ser mantido sob controle” (neste exemplo, tanto cabem mal como mau, depende do contexto), “Os bons serão recompensados e os maus, punidos”, “No final da história, a boa foi feliz para sempre e a  morreu” e “As frutas boas foram separadas das más”. “Mau” opõe-se a bom.  

Em resumo:
·Mal – Classifica-se como advérbio e conjunção. Antecedido de artigo ou pronome, torna-se substantivo. Como advérbio e substantivo, opõe-se a bem.         
·Mau – Classifica-se como adjetivo e, antecedido de artigo ou pronome, substantiva-se. Opõe-se a bom.
Na dúvida, substitua “mal” por “bem” e “mau” por “bom”. Se fizer sentido, é porque o emprego foi acertado.




VIDEOS

Loading...

Depoimento Pessoal Sobre o ENEM

O mundo da mídia e a tecnológia; as pessoas acham é que tudo por acaso, porém somos manipulado por rádios e tv quem é o mundo da mídia ou virtual,tipo internet e outros meios, o lucro obtido por cada anuncio em jornal quanto custa? É uma nota preta; bom e fica minha conclusão sobre o vazamento do ENEM deste ano 1010 e do ano passado, É simplesmente o fato da publicidade em alta, o foco de noticias na mídia de tv raio e jornal.


Josuel Batista (Clark) Desenhista e Editor de Blog’s

Depoimentos de alunos do 3 Ano escola Frei Caneca

Pelo segunda vez consecutivo, o ENEM mostra sua fragilidade primeiro, vazamento da prova, quem trouxe muito aperreio para os estudantes; agora, não foi simplesmente a prova, que poderia ser reelaborada outra , mas sim os dados dos alunos. Qual será a desculpa que vão inventar agora.

Aluno (a): Érika Lays, 17 anos, 3 Ano A



O ENEM antigamente era apenas um exame nacional do Ensino Médio, ninguém dava valor, e não tinha fraude nem e nem vazamentos; Agora que esse exame influencia nas notas para a entrada nas universidades, acontece fraude, vazamento e entre outras situações.

Nathaly Siva, 16 anos, 3 Ano A


O vazamento do gabarito da prova, a disponibilidade de dados dos alunos que já fizeram a prova há 3 anos.


Precisa-se de mais o que pra provar a fragilidade do ENEM


Não há desculpa para aquele acontecimento, com o avanço da tecnologia existe sim meios evitar esse tipo de problema.


Gisele da Silva 16 Anos, 3 Ano A


E a pergunta fica como informações tão importantes ficam expostas desse jeito; será que são importantes para autoridades ou só para o povo...


André Luiz, 17 Anos,3 Ano A


Publicação Dicas do professor.


Depoimentos reais de alunos.


Powered by Blogger